Ítalo Guedes defende democracia nas escolas, gratuidade em ônibus e congelamento de salários de prefeito e de secretários


 O candidato à prefeito de João Pessoa, Ítalo Guedes (PSOL), foi o primeiro a ser sabatinado em uma série de entrevistas com os candidatos que concorrem à prefeitura da Capital, no programa 'Arapuan Verdade', nesta quinta-feira (15). Ele falou sobre diversos assuntos, incluindo mobilidade urbana, educação e saúde. Defendeu que haja democracia nas escolas, gratuidade no transporte público e congelamento de salários de prefeito e de secretários.

Se eleito, disse que a gestão vai ser transparente. "Nós não estamos nessa por dinheiro, por salário. Não é à toa que me orgulha muito que o PSOL não está com esses poderosos da política, com as elites da nossa cidade", frisou. O candidato se comprometeu em não empregar familiares e tornar os cargos da Prefeitura cabine de emprego. Questionado sobre a legalização das drogas, disse que não era pauta para o município, mas que o grupo defende a descriminalização das drogas. 

Educação

Na área de educação, relações de trabalho precarizadas, falta de autonomia, é preciso valorizar o profissional, maior democracia e tornar o cargo de diretor mais democrática e que seja feito pela comunidade escolar. "Garantir democracia na gestão escolar, garantir que os diretores sejam eleitos pela comunidade escolar, não fazer do cargo de direção escolar, mais um cargo politico, de negociata  e do toma lá da cá", disse.

Gratuidade

Em relação a gratuidade no transporte coletivo, Ítalo Guedes informou que é dado para os estudantes frequentarem as escolas, mas defende que seja estendido para que os alunos possam 'viver a cidade', frequentar espaços públicos e de lazer. "Muitos dos alunos já estudam perto de casa", frisou, destacando que João Pessoa tem a passagem mais cara do Nordeste. Comentou que é preciso rever os contratos com os dois grandes grupos que dominam o transporte público urbano da cidade. 

Empresariado

Sobre um 'tabu' com os partidos de esquerda com o empresariado, em relação a confrontos, o candidato disse que existe um clichê e que o partido é aberto ao diálogo com as categorias. "Esse título que colocam simplesmente para os partidos de esquerda é um cliche que não condiz com a realidade.  quem mais emprega no Brasil são os pequenos empresários, os pequenos comerciantes, pequenos médios comerciantes e temos que sentar para negociar. eles têm passado por momentos muito difícil durante essa pandemia e eles são capazes de gerar muito emprego e renda para nossa cidade", disse.

Festas

Sobre o Carnaval, por exemplo, disse que é necessário conversar com as pessoas que vivem as festas. "Temos que sentar com essas pessoas e ver como pode potencializar isso", comentou. Ítalo Guedes, que é mestre em psicologia social, informou que anda de transporte público e não tem plano de saúde. 

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO