Administrador judicial do Hotel Tambaú afirma que material levado pertencia a outra massa falida e será destinado a imóvel na Bahia

 

O atual administrador judicial do Hotel Tambaú, na orla marítima de João Pessoa, Edvan Araújo, negou que os pertences (móveis e eletrodomésticos) levados nesta sexta-feira (20) pertenciam ao hotel. Segundo informou, os materiais pertenciam a outra massa falida e que agora será levado para um imóvel em Porto Seguro, no Estado da Bahia. 

A denúncia tinha sido feita pelo arrematante, Rui Galdino, no programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM, hoje. De acordo com Edvan Araújo, o comunicado para a retirada dos materiais foi comunicada ao juiz. Ele contou que quando começou os trabalhos de recuperação do Hotel Tambaú, havia sido fechado o Hotel de Manaus.

"Aqui no Hotel Tambaú tinha muitos televisores de tubo. Então eu consegui uma autorização judicial para trazer de Manaus esse material que foram 15 televisores, 15 frigobares e o material de uso e consumo como papel higiênico que estava lá em Manaus que já estava se deteriorando", afirmou, conforme acompanhou o ClickPB.

Por falta de segurança, decidiu-se pegar todos os materiais susceptíveis a roubo e trouxe para João Pessoa. "Então todo esse material eu estou mandando para outro hotel da massa falida em Porto Seguro, mas lá está em operação. E não é material do hotel Tambaú", afirmou.

CLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA