Manifestação contra morte de João Alberto termina com quebra-quebra em São Paulo

 


17ª Marcha da Consciência Negra em São Paulo, que nesta sexta-feira (20) pediu justiça pela morte de João Alberto em Porto Alegre, terminou em quebra-quebra em uma unidade do Carrefour da rua Pamplona no bairro dos Jardins, Zona Sul da capital.

Após o fim do ato pacífico, um pequeno grupo de manifestantes usou pedras e paus para atacar a loja e quebrar a vidraça da unidade, que fica dentro de um shopping da região.

LEIA MAISHomem negro é espancado até a morte em supermercado do grupo Carrefour em Porto Alegre

Os manifestantes também entraram no supermercado e atearam fogo em alguns produtos. Seguranças do Carrefour usaram extintores para apagar as chamas e fecharam a loja com clientes dentro, para evitar novos tumultos.

Loja do Carrefour nos Jardins foi atacada durante manifestação que pediu justiça por João Alberto — Foto: Nelson Almeida/AFP

Ninguém se feriu no ato, mas ao menos um carro que estava no estacionamento do shopping também foi atacado e destruído pelos manifestantes. A fachada de fora da loja teve os vidros destruídos, assim como uma das escadas rolantes do shopping.

Loja do Carrefour é atacada em São Paulo — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

A manifestação começou por volta das 16h, no vão livre do Masp, na Avenida Paulista. Os manifestantes se dirigiram à unidade do Carrefour da rua Pamplona, por volta de 18h30.

Escada rolante de shopping onde fica Carrefour ficou destruída após manifestação nesta sexta-feira (20) em SP — Foto: Divulgação

Durante o ataque ao supermercado, organizadores da marcha pediam no microfone para os manifestantes não danificarem a unidade, mas não foram ouvidos pelo pequeno grupo que atacou o supermercado.

Manifestantes atacam shopping onde fica unidade de Carrefour no bairro dos Jardins, em São Paulo — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Por causa do tumulto, a polícia interviu e fechou parte da rua Pamplona para dispersar os manifestantes.