Prefeitura de João Pessoa anuncia projeto ''Papel Zero'' para substituir uso de papel por documentos digitais


 O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, assinou, nesta quinta-feira (22) a Ordem de Serviço para a implantação do projeto Papel Zero na Capital. A ideia é otimizar processos, reduzir burocracias e despesas. Depois de implantado integralmente, o que vai ocorrer até dezembro, o novo sistema vai permitir uma economia direta de pelo menos R$ 11 milhões, podendo chegar a R$ 16 milhões.

Substituir processos manuais por soluções digitais é uma tendência mundial. Com Papel Zero, todas as secretarias vão se comunicar de forma mais eficiente para garantir maior transparência e respostas mais rápidas à população. Além de fortalecer o planejamento, a novidade também contribui para a preservação do meio ambiente.

"Este é um momento importante para a gestão pois é o cumprimento de nossa palavra no sentido de gestão eficiente e que facilite a vida da população. O objetivo é fazer um serviço público com a maior qualidade possível. O cidadão vai ter sua vida facilitada podendo acessar seus processos junto à Prefeitura do seu celular, do seu computador, acompanhando cada etapa", explicou Cícero Lucena.

Neste primeiro momento, o programa terá início com a exclusão do papel nos procedimentos internos, como ofícios, circulares e memorandos. "Este será um divisor de águas, pois estaremos entrando na era da tecnologia, com processos mais ágeis e eficientes. Vamos começar com processos internos e dentro de 90 dias este modelo será ampliado para alvarás, licenças, habite-se e outros processos demandados pela população", explicou o secretário da Administração, Valdo Alves.

O Papel Zero é uma das metas do Programa João Pessoa Sustentável, orçado em 200 milhões de dólares. Metade dos recursos é financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a outra metade é de contrapartida da Prefeitura.

CLICKPB




FALA PARAÍBA-BORGES NETO