Deltan Dallagnol critica fim da operação Lava Jato: ‘Quem ganha com isso é a impunidade’, lamentou

 

O  Procurador do Ministério Público Federal  Deltan  Dallagnol  afirmou na tarde desta sexta-feira (11)  que o fim da Operação Lava Jato  representa um retrocesso nas ações de combate a corrupção no País.  “Tudo foi  feito dentro da maior transparência e imparcialidade possíveis sem nenhuma tendência político-partidária e o fim dessa operação representa uma vitória para a impunidade”, lamentou o procurador que concedeu entrevista ao jornalista Felipe Nunes do Sistema Arapuan de Comunicação.

Ainda durante a entrevista veiculada no  Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação, ele deixou claro que durante a Operação Lava Jato não houve qualquer tipo de falhas nas investigações. Ao se referir as condenações do ex-presidente da República, Lula, Deltan  Dallagnol   afirmou que,  como qualquer outra investigação feita pelo Ministério Público Federal, tudo transcorreu dentro da lei e sem nenhuma perseguição política.

Deltan  Dallagnol, que coordenou a operação Lava Jato,  criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal de mandar para Justiça  Eleitoral o processo aonde o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho é acusado de desviar recursos públicos da saúde dentro da  Operação Calvário. ” Isso abre brecha para que os todos os processos sejam anulados uma vez que a Justiça Eleitoral não tem competência para julgar crimes de corrupção e isso que vem acontecendo em todo o Brasil”, lamentou.

O procurador também fez elogios ao colega de profissão,  Otávio Paulo Neto, que segundo ele,    sempre agiu com muita inteligência e imparcialidade nas ações de investigação da  Operação Calvário. “ Ele representa mais um braço do Ministério Público no combate a corrupção”, destacou Deltan  Dallagnol.

PARAÍBA.COM

BORGES NETO LUCENA INFORMA