Pacientes internos na UTI da Frei Damião são acolhidos com músicas e calor humano; veja vídeo

 

Em mais uma ação de Humanização, contemplado pelo Programa “Acolher Bem” da Maternidade Frei Damião, pacientes internos nos setores críticos da UTI e Unidade de Decisão de Clínica (UDC) da Maternidade Frei Damião, que integra a rede hospitalar do Estado, foram acolhidos com música na manhã desta quinta-feira (19). A ação foi organizada pela Coordenação de Obstetrícia juntamente com as direções técnica e clínica da unidade de Saúde.

Com um violão, a obstetra Ceres Bandeira, acompanhada da coordenadora da obstetrícia Andressa Vinagre e da diretora técnica da maternidade Frei Damião, Andréa Correia Nóbrega de Sá, cantaram músicas religiosas com letras que falam da fé, de perseverança, de amor, e de milagres, a fim de trazer encorajamento e contribuir na melhora e bem estar dos pacientes.

“Estamos passando por momentos muito desafiadores para todos nós profissionais da linha de frente que prestam assistência às vítimas dessa doença tão brutal. Onde muitos desses enfermos, poderão não retornar aos seus lares. Então, nada mais do que justo e humano, acalentarmos um pouco a sua alma e o seu coração e essa prática de humanização, dentre outras, é uma constante aqui em nossa unidade de saúde”, disse a diretora geral Selda Gomes.

Andressa Vinagre, coordenadora da Obstetrícia afirmou que a boa música transcende a alma e é capaz de penetrar nos corações e mentes não só dos doentes, mas também de todos os profissionais que muitas vezes estão cansados e oprimidos com tanto sofrimento vivenciado. “Ao ver um olhar de esperança e de alegria mesmo por um breve momento nos dá ânimo de seguir na luta em prol da vida”, comentou.

Ceres Bandeira médica obstetra e intensivista da Frei Damião,  afirmou  que é muito gratificante poder fazer parte de iniciativas como essa e proporcionar experiências positivas durante o período de hospitalização e poder sentir que o paciente recebeu de bom grado esse pequeno gesto nos traz uma satisfação imensurável, comentou.

Andrea Correia diretora técnica e obstetra da unidade enfatizou que nos ambientes de cuidados críticos como a UTI, a música é capaz de influenciar e transformar o meio, comportamento e sentimentos dos indivíduos. Assim, seu uso como proporcionador de relaxamento físico e espiritual constitui-se uma pratica valiosa de cuidados em saúde aos pacientes que se encontram em estado de fragilidade; revertendo-se numa alternativa complementar no direcionamento da promoção da vida.


PARAÍBA.COM


FALA PARAÍBA-BORGES NETO