Justiça aceita denúncia contra acusado de matar a jovem Patrícia Roberta, em JP

 

A juíza Francilucy Rejane de Sousa Mota, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de João Pessoa, recebeu nesta terça-feira (28) a denúncia contra Jonathan Henrique Conceição dos Santos, acusado pela morte da jovem pernambucana Patrícia Roberta, de 22 anos.

Na decisão, a magistrada apontou que a denúncia “contém a exposição dos fatos criminosos, com todas as suas circunstâncias, a qualificação do acusado, a classificação do crime e rol de testemunhas”.

A juíza destacou ainda que “há indícios suficientes de autoria e prova da existência de crime”.

Indiciamento

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa indiciou Jonathan Henrique Conceição dos Santos pelo homicídio da jovem pernambucana Patrícia Roberta Gomes da Silva. A estudante foi encontrada morta no dia 27 de abril em uma região de mata na Zona Sul de João Pessoa.

A conclusão da investigação foi apresentada à Justiça no início de maio e será analisado pela 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital.

O desparecimento

Patrícia Roberta desapareceu após viajar para João Pessoa no dia 23 de abril. Ela comunicou à família que se encontraria com um rapaz, no bairro de Gramame. O pai dela, Paulo Roberto, viajou até à capital paraibana para procurá-la.

Ele disse que o suspeito já queria namorar com a filha há um tempo, mas não obteve autorização. O casal então voltou a se comunicar, quando Jonathan convidou Patrícia a visitar João Pessoa.

“Ela veio e no domingo falou chorando com a mãe e depois não falou mais. Viemos para João Pessoa, descobri o endereço dele e prestamos um BO na delegacia”, narrou Paulo Roberto.

Antes de viajar, Patrícia arrumou os cabelos e fez as unhas para ir ao encontro do suspeito. A passagem de Caruaru para João Pessoa foi comprada com autorização da mãe, em seu cartão. Ainda na sexta-feira (23), a jovem ficou à espera de Jonathan no Terminal Rodoviário, ele não apareceu, mas disponibilizou uma veículo de transporte por aplicativo para levá-la até seu apartamento, no bairro de Gramame.

No sábado (24), o rapaz saiu do apartamento e deixou a jovem trancada. Ela comunicou o fato à família alegando tristeza, já que veio para capital paraibana com a promessa de conhecer a cidade e o “mar”.

A garota se comunicou com a mãe até o domingo (25). Diante do seu silêncio, a família registrou um boletim de ocorrência, quando foram iniciadas diligências pelas Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros.

Pertences encontrados

A perícia encontrou objetos da jovem Patricia Roberta, de 22 anos, num tonel que teria sido utilizado por Jonathan Henrique. Testemunhas afirmam que viram o rapaz transportando algo semelhante a um corpo, dentro do tonel, em um carrinho de mão.

De acordo com a perita criminal Amanda Melo, livros relacionados à bruxaria foram encontrados no apartamento de Jonathan, que está foragido. Também foi achada uma lista com nomes de mulheres e escritos do tipo: “A noite eu saio para matar, você é uma menina boazinha e eu sou um cara mal”.

O carrinho de mão supostamente utilizado pelo suspeito foi encontrado em um quintal da região do bairro de Gramame, onde mora o suspeito e localidade onde Patrícia passou o final de semana.

Corpo encontrado

O corpo da da jovem Patrícia Roberta, de 22 anos, foi encontrado no dia 27 de abril em João Pessoa. Ela estava desaparecida desde que veio de Caruaru, em Pernambuco, para encontrar-se com Jonathan Henrique, na capital paraibana. O cadáver foi encontrado por policiais do 5º Batalhão da Polícia Militar enrolado em plásticos.

Acusado preso

Jonathan Henrique Conceição dos Santos foi preso no dia que o corpo de Patrícia foi encontrado em uma área de matagal na Zona Sul de João Pessoa. O acusado, de 23 anos, estava escondido na casa de um amigo no bairro de Mangabeira.

O jovem foi localizado após um amigo dele ser detido. A motocicleta que teria sido utilizada pelo rapaz para transportar o corpo de Patrícia e fugir também foi encontrada no local.

Jonathan foi foi transferido para a Central de Polícia, no Geisel, e após passar por audiência de custódia foi transferido para a Penitenciária Desembargador Flósculo da Nóbrega – Presídio do Roger.

Suspeita de outros crimes

Em coletiva de imprensa realizada na semana do ocorrido, a Polícia Civil informou que estava investigando se Jonathan Henrique, suspeito de matar a jovem Patrícia Roberta, teria cometido outros crimes. Segundo a delegada Emília Ferraz, possíveis vítimas denunciaram o rapaz após o fato.

“Temos várias outras pessoas para indagar. Recebemos denúncias que apontam para pessoas que também se declararam vítimas das investidas abusadoras de Jonathan. Uma outra pessoa alega para o temperamento explosivo”, disse a delegada.


MaisPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA