Aprovação de projeto que permite união de partidos em federações divide opiniões na PB

 

A aprovação pela Câmara dos Deputados do projeto que permite a dois ou mais legendas se unirem em uma federação partidárias e atuarem de maneira uniforme em todo o país dividiu opiniões na Paraíba. A proposta recebeu 304 votos favoráveis e como já tem o aval do Senado, segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Se entrar em vigor, a federação de partidos permitirá a união de siglas com afinidade ideológica e programática – sem que seja necessário fundir os diretórios.

Dos doze representantes da bancada paraibana na Câmara Federal, apenas os deputados Efraim Filho (DEM) e Julian Lemos (PSL) votaram contra ao projeto.

O presidente estadual do Patriotas na Paraíba, deputado Wallber Virgolino, disse que a mudança não vai alterar o seu modo de fazer campanha. Segundo ele, a iniciativa vai beneficiar os candidatos com menor poder aquisitivo. “Qualquer que seja o modelo, vamos disputar da mesma forma. Acredito que a mudança vai favorecer os candidatos mais pobres, com menor poder aquisitivo, de forma mais democrática. Como eu não compro voto, meu voto é de opinião, vamos para luta seja qual for o formato”, afirmou.

Já para o advogado eleitoralista, Ronnie Lins, a junção de partidos em federações vai impedir que filiados possam deixar suas respectivas legendas antes do término dos quatro anos, sob pena de infidelidade partidária. Ele ressaltou que a condição retira a independência dos filiados perante a legenda. “É mais do que uma coligação, e por isso os filiados não terão independência”, observou.

PARAÍBA.COM


 BORGES NETO LUCENA INFORMA