Eliza Virgínia usa redes sociais para desinformar e 'recomenda' que pais não vacinem seus filhos contra covid-19

 

A vereadora Eliza Virgínia (PP), em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta quarta-feira (22) causou polêmica ao relacionar morte de jovem com a vacina contra a Covid-19. Na contramão do que orienta a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde, a parlamentar 'recomenda' que pais não vacinem seus filhos contra covid-19.

Mesmo após análise feita pelo Ministério da Saúde, assegurando que a morte de uma adolescente de 16 anos depois de ser imunizada com a vacina da Pfizer não teve relação com a vacina, a parlamentar insistiu com a negação do imunizante. 

Em um vídeo que divulgou em suas redes sociais, a parlamentar reforçou seu posicionamento contrário a vacinação de jovens e crianças. No vídeo, a vereadora insistiu que adolescentes não sejam vacinados contra covid-19, " a vacina é experimental", disse. "Estamos vendo vários jovens que após tomar a vacina não estão se sentindo bem...", reforçou.

A jovem a que se refere, faleceu vítima de púrpura trombocitopênica trombótica, doença autoimune que predispõe a formação de coágulo e pode levar à morte, ou seja, mesmo após o Ministério da Saúde reforçando a importância da imunização, a parlamentar reforça a corrente contra a imunização. 

O Ministério afirma que a morte não tem associação com a vacina. “Não dá para estabelecer uma vinculação”, disse Queiroga.

Confira o vídeo:


CLICKPB

FALA PARAÍBA-BORGES NETO