'Arregou': apontado como autor da ação contra Karla Pimentel, chefe de gabinete nega ter autorizado advogado a entrar com pedido de cassação

 


Em mais uma reviravolta no caso da cassação da prefeita do Conde, Karla Pimentel, um dos autores do pedido, Aleksandro Pessoa, declarou que não autorizou o seu advogado Yuri Marques da Cunha a dar entrada em processo judicial contra a coligação eleita. A afirmação foi registrada nesta quinta-feira (21) em um cartório de João Pessoa. O documento, o qual o ClickPB teve acesso, pode fazer com o que processo seja extinto.

Aleksandro é chefe de gabinete de Karla desde o dia 9 deste mês, quando Hermann Lundgren Régis, ex-marido da prefeita cassada, foi exonerado do cargo. Antes fazer parte da atual gestão, ele chegou a ser suplente de vereador na legislatura passada e chefe de gabinete da ex-prefeita Márcia Lucena.

Nas eleições municipais de 2020, ele concorreu como vice de Márcia. A chapa, no entanto, ficou em segundo lugar. Agora, com base na decisão da juíza Lilian Frassinetti Correia Cananea, da 3ª Zona Eleitoral de Santa Rita, ele pode assumir o cargo vice do Conde ao lado da ex-prefeita.

De acordo com Lilian, Karla cometeu a prática de abuso de poder econômico nas contas da campanha que foram prestadas à Justiça Eleitoral.

"Foram apuradas a existência de serviços prestados na modalidade de propaganda e publicidade que incorreram em despesas no montante de R$ 9.784,38, não registradas na prestação de contas ao final da campanha, mas em prestação de contas retificadora", tendo sido comprovado ainda que "o pagamento de despesas de propaganda e publicidade feito diretamente pela candidata, não permite identificar a verdadeira origem dos recursos recebidos no curso da campanha, trazendo dúvidas acerca da regularidade da movimentação financeira", diz trecho do documento.

Veja a declaração de Aleksandro Pessoa registrada em cartório:

CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO