Campina se torna Cidade Criativa da Unesco e Daniella parabeniza município


 Daniella Ribeiro, senadora pelo Progressistas, comemora a inclusão de Campina Grande como a primeira cidade brasileira a integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 8, pela diretoria-geral da organização mundial, em Paris, que elenca as cidades que se destacam em cultura e criatividade em todo o mundo.

Do Brasil, apenas Campina Grande e Recife entraram para a lista. São cinco novas cidades integrando a categoria Artes Midiáticas, sendo Campina a única do Brasil e das Américas. As outras são Hamar (Noruega), Modena (Itália), Namur (Bélgica) e Tbilisi (Georgia). Recife integra a lista na categoria Música, ao lado de Salvador, que já possui o título.

A senadora destacou o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, através da secretária Rosália Lucas, que inscreveu Campina Grande na seleção e acompanhou de perto todo o processo com o objetivo de concretizar esse grande passo para a cidade receber o selo de Cidade Criativa da Unesco.

Rosália, por sua vez, contou que a Prefeitura de Campina Grande contou com o apoio das secretarias de Desenvolvimento Econômico, Educação, Cultura e Ciência e Tecnologia, além da parceria com o Sebrae, Fiep, Unifacisa, Associação Comercial, CDL, Fecomércio, UEPB, UFCG, e Fundação Parque Tecnológico. A criação do dossiê contou com a consultoria do mestre em desenvolvimento urbano, Eduardo Barroso Neto, responsável pela elaboração de dossiês das candidaturas exitosas das cidades de Florianópolis, em 2014 (Gastronomia); João Pessoa, em 2017 (Artesanato); e Fortaleza, em 2019 (Design) e pela consultora Mariane Góes, responsável pelo programa João Pessoa Cidade Criativa da Unesco.

“Iniciar a semana com essa notícia é algo que nos enche de orgulho e emoção pelo reconhecimento. Campina Grande tem potencial para compor a lista de cidades criativas na categoria Artes Midiáticas por todo o trabalho que é desenvolvido. Para nós, paraibanos, e, sobretudo, para os filhos de Campina Grande, esse selo da Unesco é muito significativo por toda a história da nossa cidade”, afirmou Daniella.

Ao lado de cidades-membro da categoria, como Cali, na Colômbia, e Braga, em Portugal, Campina Grande passa a desenvolver políticas e soluções inovadoras que buscam colocar as pessoas e a sustentabilidade como centro desse processo de desenvolvimento.

A Rede de Cidades Criativas conta com 295 cidades em 90 países. São cidades que, assim como Campina Grande, investem em cultura e criatividade – artesanato e arte popular, design, cinema, gastronomia, literatura, artes da mídia e música. O Brasil já tem dez cidades-membro da Rede de Criatividade da Unesco, que são as seguintes: Belém (PA), Florianópolis (SC), Paraty (RJ) e Belo Horizonte (MG), no campo da gastronomia; Brasília (DF), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE), em design; João Pessoa (PB), em artesanato e artes populares; Salvador (BA), na música; e Santos (SP), no cinema.

MaisPB



BORGES NETO LUCENA INFORMA