Fãs e artistas se despedem de Marília Mendonça com homenagens e músicas

 

Fãs da cantora Marília Mendonça formam uma longa fila na frente do ginásio Arena Goiânia para se despedir dela, que faleceu nessa sexta-feira (5) vítima de acidente aéreo. O velório foi aberto ao público às 13h. Familiares, artistas e admiradores da cantora estão no local.

A expectativa é de que cerca de 100 mil pessoas passem pelo ginásio para se despedir da Rainha da Sofrência. Cantores como Maiara, Naiara Azevedo, Luisa Sonza e Fernando compareceram para o último adeus. A mãe de Marília, Ruth, de 53 anos, chegou ao local amparada por dois seguranças.

Emocionados, os cantores Henrique e Juliano, dupla amiga e parceira musical de Marília, cantaram a música ‘A Flor e o beija-flor’, que gravou com ela. Maiara e Maraísa também cantaram em homenagem à cantora.

Cantores sertanejos organizam homenagens a Marília Mendonça, enquanto os fãs aguardavam na fila e entoam canções que marcaram a carreira da sertaneja. Muitos levaram flores para homenageá-la.

O corpo de Marília será sepultado às 17h30, após cortejo.

Trajetória

Nascida na cidade de Cristianópolis (GO) e criada em Goiânia, Marília Mendonça começou a compor aos 12 anos e é autora de canções que foram gravadas por diversas duplas sertanejas famosas como Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, Maiara e Maraísa e César Menotti e Fabiano. Em 2015, aos 20 anos, ela decidiu seguir a carreira de cantora e seu sucesso foi meteórico: Devido às músicas abordarem temas como amor, traição e dor de cotovelo, ela foi coroada pelo público como a “Rainha da Sofrência”.

Em 2019, Marília Mendonça recebeu o prêmio de melhor álbum de música sertaneja no Grammy Latino. No Instagram, são quase 40 milhões de seguidores. Na plataforma Spotify, é a artista brasileira mais seguida e ocupa a 41ª posição mundial: mais de 18,5 milhões de fãs acompanham sua conta. Ela supera referências internacionais como Beatles, Katy Perry e Michael Jackson.

Sua morte comoveu a comunidade de artistas e também diversas autoridades brasileiras, que deixaram mensagens de pesar nas redes sociais. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, decretou luto oficial de três dias. A cantora deixa seu filho Léo, que fará dois anos no próximo mês. Ele é fruto de seu relacionamento com o cantor Murilo Huff, de quem se separou em setembro deste ano. “Eu ainda não tenho palavras que consigam expressar a dor que eu sinto no peito agora, mas passo aqui para agradecer à todas as mensagens de apoio e preocupação comigo e com o Léo”, escreveu Huff, nas redes sociais.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão do Comando da Aeronáutica, foi acionado para investigar as causas do acidente e uma equipe saiu do Rio de Janeiro para periciar o local da queda. O avião bimotor de pequeno porte, do modelo Beech Aircraft, caiu nas pedras de uma cachoeira no distrito de Piedade de Caratinga, no município de Caratinga. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 15h30 para atender a ocorrência. Já a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave estava em situação regular e tinha autorização para fazer táxi aéreo

Hoje, pouco antes das 9h, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que estava fazendo a escolta dos corpos de Marília Mendonça, Abicieli e Henrique até o aeroporto de Ubaporanga, cidade vizinha à Caratinga. “Dois seguem para Goiânia e o terceiro para Salvador”, informou a instituição. Já às 11h, a Polícia Civil anunciou que o Instituto Médico Legal (IML) liberou os corpos do piloto e do copiloto. Eles estão sendo escoltados até o aeroporto para que prossigam até Brasília.

O policial civil e delegado regional de Caratinga, Ivan Sales, disse que um inquérito foi instaurado nesta manhã e as investigações prosseguirão com a oitiva de testemunhas e a juntada dos laudos. “A equipe da Cenipa já chegou em Caratinga. Uma equipe da Polícia Civil, composta por um delegado e um perito, vai acompanhá-la. Eu e o inspetor vamos no deslocar ao local do acidente para dar continuidade às investigações.”

Na noite de ontem (5), a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), estatal mineira responsável pela transmissão e distribuição de energia no estado, divulgou uma nota com informações sobre o acidente e manifestando solidariedade aos familiares das vítimas. “A Cemig informa que o avião bimotor que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da companhia no município de Caratinga”, diz o texto.

Questionado sobre essa informação, o delegado Sales pontuou que, morando há 28 anos em Caratinga, não tem conhecimento de reclamações sobre problemas com a fiação elétrica. “Nunca ouvi nenhum comentário de piloto amigo ou de proprietário de avião nesse sentido. O que eu sei e podemos afirmar é que o aeroporto não é balizar, então por isso não opera em horário noturno e com condições climáticas não favoráveis.”

MaisPB com Agência Brasil


FALA PARAÍBA-BORGES NETO