Bruno diz que PL está aberto para receber Eliza e comenta adesões de prefeitos

 

O ainda pré-candidato ao Senado pelo Partido Liberal (PL), Bruno Roberto, filho do deputado federal Wellington Roberto que preside a sigla no estado, comentou ao portal sobre dois temas que envolvem seu partido que hoje abriga o presidente da República Jair Bolsonaro. No primeiro tópico ele abordou a possível filiação da vereadora pessoense Eliza Virginia que hoje integra o PP do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, outro questionamento foi feito no tocante a adesão de Mari, Antônio Gomes e do prefeito de Serra Grande, Vicente Neto, ambos do PL a base do governador João Azevêdo (Cidadania).

Questionado sobre como observa a possível filiação de Eliza Vírginia aos quadros do PL, o pré-candidato a senador destacou que para ele, Eliza é um dos melhores quadros da CMJP e que a mesma será muito bem recebida aos quadros do PL, pois a mesma tem diversos princípios fundamentais que o PL observa ser fundamental num político. “Ela é um dos quadros de destaque do parlamento mirim de João Pessoa, pois defende com muita propriedade algumas bandeiras que para nós são caríssimas para uma sociedade mais equilibrada, como a pauta da preservação da família e da liberdade de expressão. Então reitero que seria uma grande honra tê-la nas fileiras do PL e que pode marcar presença expondo as suas teses na disputa por uma das vagas na Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal. Não tenho dúvidas que ela tem uma grande chance de pavimentar um caminho de sucesso e tendo êxito será uma parlamentar de referência”, comentou Bruno.

Convite a Pedro – Recentemente Bruno Roberto fez um convite público para ingressar no PL ao pré-candidato ao Governo do Estado, Pedro Cunha Lima (PSDB). O entendimento surge a partir de uma possível federação partidária que está sendo discutida em âmbito nacional entre o PSDB e o Cidadania, legenda do atual governador e que vai disputar reeleição, João Azevêdo (Cidadania). Ambos já declararam inclusive que, caso isso aconteça, um deles deve sair do partido.

Bruno Roberto, porém, pontuou que para isso acontecer o tucano deve deixar de lado críticas feitas ao chefe do Executivo Jair Bolsonaro (PL) e ter o entendimento de que há uma união em torno de um palanque para o presidente da República. Caso Pedro aceite, as portas do PL estão abertas.

“Quem tem de analisar e fazer isso é o próprio Pedro pensando no que for mais viável para sua candidatura e desde que ele se adapte a defesa das pautas que são pregadas pelo presidente Bolsonaro. Naturalmente, pode ser que ele seja recepcionado pelo Partido Liberal”, disse Bruno à época.

Possíveis adesões de prefeitos – Sobre as recentes adesões dos prefeitos de Serra Grande e Mari a base do governador, Bruno comentou que há distorções nos fatos apresentados pela mídia, destacando que os gestores só mantiveram contatos administrativos com João Azevêdo. “Na minha visão ainda não se configura adesão desses prefeitos ao governador, pois parece para mim que houve somente uma reunião administrativa com prefeitos, pontualmente com o meu amigo o prefeito de Serra Grande, Vicente Neto e também do prefeito de Mari e amigo, Antônio Gomes. Eles cumpriram suas funções administrativas tentando angariar recursos que possam de algum modo melhorar a vida das pessoas que habitam as cidades que eles têm a função de conduzir seus destinos. A leitura que faço é que tem uma distorção aí, posteriormente vou me reunir com esses gestores, mas de antemão descarto qualquer tipo de represália caso se confirme, pois são pessoas que antes de relacionamento político temos uma relação de amizade. Repito no meu ver eles só cumpriram sua função constitucional de buscar recursos. Entretanto temos que avaliar essa questão, pois se avaliarmos friamente somente o volume de recursos o trabalho realizado pelo deputado federal Wellington Roberto dá de cinco para um aí, em volume de recursos para o que foi ainda acenado pelo Governo do Estado”, afirmou o filho de Wellington Roberto.

Em entrevista à imprensa o prefeito de Mari, Antônio Gomes (PL), anunciou, ontem (11), sua adesão à base aliada do governador João Azevêdo (Cidadania).  O anúncio ocorreu após reunião com o chefe do Executivo estadual e contou com as presenças do deputado estadual Wilson Filho, do presidente estadual do Cidadania, Ronaldo Guerra, e de sete vereadores do município.

Na oportunidade, o prefeito Antônio Gomes reforçou seu apoio ao chefe do Executivo estadual. “Eu não posso ficar contra o governador que mais terá trabalhado por Mari e eu só gosto de votar em quem trabalha. Desde 1982 que faço política no município e todas as reivindicações que pleiteamos foram atendidas, vamos mostrar ao nosso povo que o governador de Mari continuará João Azevêdo e vamos trabalhar juntos”, disse.

Ele também agradeceu ao governador pelos investimentos no município. “Nós fomos contemplados com uma escola modelo na Zona Rural, o asfalto que já está sendo licitado e terá sua ordem de serviço brevemente assinada pelo governador que estará em Mari, além de uma creche. A nossa cidade tem mais de 22 mil habitantes e nenhum governante levou tantas obras para nosso município como João Azevêdo está levando”, acrescentou.

Já o prefeito de Serra Grande, Vicente Neto (PL), declarou, sua adesão à base aliada do governador João Azevêdo (Cidadania). O anúncio ocorreu após reunião com o chefe do Executivo estadual, oportunidade em que foram apresentadas as ações da gestão estadual para desenvolver o município.

Na ocasião, o prefeito Vicente agradeceu ao governador João Azevêdo pela sensibilidade de atender aos pleitos da população de Serra Grande. “Nós somos gratos pelo anúncio do asfalto de Serra Grande a São José de Caiana, que não liga apenas duas cidades, mas os Vales do Rio Piancó e do Rio do Peixe e que trará muito desenvolvimento a essas regiões e já aproveitamos para traçar o nosso futuro e apoio do nosso município ao governador”, falou.

PB AGORA


BORGES NETO LUCENA INFORMA