Charliton desiste do Senado e acusa PT de priorizar ‘interesses individuais’

 

O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores na Paraíba e ex-candidato a prefeito de João Pessoa pela legenda em 2016, Charliton Machado, anunciou na manhã desta sexta-feira (07) a desistência da pré-candidatura ao Senado Federal.

Machado tentava construir junto a lideranças da sigla que são contrárias ao ex-governador Ricardo Coutinho, recém filiado ao PT, e favoráveis à reeleição do governador João Azevêdo (Cidadania), uma candidatura a senador. O petista contava com apoio do deputado federal Frei Anastácio e o deputado estadual Anísio Maia.

Ao desistir da candidatura, Charliton fez críticas à executiva nacional.

“Diante da óbvia constatação de que a Direção Nacional do PT continuará recusando efetivamente a debater com profundidade uma tática política com a maioria da direção estadual e militância do PT da Paraíba, preferindo assim optar por escolher que acomodem interesses e projetos individuais de alguns caciques políticos recém filiados ao partido, reconhecemos que exauriu-se por inteiro a motivação e a razão de continuar lutando por uma pré-candidatura ao Senado”, escreveu.

O petista voltou a detonar o regresso do ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, e do ex-governador Ricardo Coutinho à sigla. Ambos tinham deixando a legenda no passado. Coutinho migrou para o PSB e Cartaxo foi para o PSD e posteriormente para o PV.

“Como é de conhecimento da Paraíba, fomos surpreendidos pela maneira impositiva e, porque não dizer autoritária, em que ocorreram as filiações de nomes como o ex-governador Ricardo Coutinho e do ex-prefeito Luciano Cartaxo ao PT. Ou seja, sem qualquer diálogo com a maioria da direção partidária estadual, lideranças e, principalmente, com a nossa aguerrida militância”, escreveu.

MaisPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO