Em ofício ao Ministério da Saúde, MPF quer saber quais municípios da Paraíba teriam vacinado crianças sem autorização da Anvisa

 


O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) solicitou nesta quinta-feira (20) informações ao Ministério da Saúde sobre o relatório divulgado da pasta onde é apontado que mais de 57 mil crianças no Brasil, inclusive no Estado da Paraíba, teriam recebido doses fora dos padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

Conforme apurou o ClickPB, os números são da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) e apontam que só na Paraíba, 114 crianças de 0 a 12 anos foram vacinadas com doses não previstas pela Anvisa. Destas, 56 teriam recebido vacinas da AstraZeneca e CoronaVac, que sequer foram aprovadas pela agência para esta faixa-etária.

Os dados vieram à público após a repercussão do escândalo em Lucena na última sexta-feira (14), quando uma denúncia nas redes sociais revelou que crianças foram vacinadas contra a covid-19 com doses da Pfizer destinadas a adultos e que estavam com prazo fora de validade. O MPF, órgão responsável por investigar o caso, ressalta até o momento que é um problema isolado, tendo em vista que não dispõe dos dados fornecidos pela RNDS.

Ao Ministério da Saúde, o MPF deu um prazo de cinco dias para a pasta indicar quais são os municípios paraibanos onde o público infatojuvenil recebeu doses dos imunizantes contra a Covid-19 fora dos padrões da Anvisa; informar se a Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba havia sido notificada acerca dos dados identificados da RNDS; e esclarecer se esses dados foram discutidos na audiência pública promovida pelo Ministério da Saúde, no último dia 4 de janeiro, em que se tratou da imunização contra a covid-19 no público de 5 a 11 anos.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO