Psicopedagoga recomenda mais brincadeiras e menos uso de telas nas férias escolares

 

Chegou a temporada das férias escolares. Uma alegria para os pequenos e um aumento dos cuidados para os pais e responsáveis. A psicopedagoga do Sistema Hapvida em João Pessoa, Lucilene Almeida, destaca que as férias possuem um fator fundamental na formação do indivíduo e recomenda não deixar as crianças e adolescentes confinados em locais fechados, sem atividades físicas e com tempo prolongado do uso de telas. Destaca ainda que, apesar da pausa nas aulas, é preciso manter algumas rotinas.

“Uma opção é aproveitar as possibilidades que algumas famílias possuem de, por exemplo, deixar as crianças com os avós ou com alguém de confiança, contratar uma babá para este período, inscrever os filhos em alguma colônia de férias ou verificar se a escola oferece algum tipo de recreação”, sugere a psicopedagoga.

Segundo a especialista do Hapvida, algumas brincadeiras estimulam o cérebro das crianças e ajudam no desenvolvimento delas, por exemplo, atividades com movimento que auxiliam na oxigenação do cérebro. Além disso, Lucilene assegura que movimentar-se é muito importante não só para o funcionamento corporal, cerebral e emocional, mas também para facilitar o aprendizado. “Com o movimento e a brincadeira a criança faz representações mentais e essas, são fundamentais para a organização do raciocínio e a construção do conhecimento”, pondera a psicopedagoga.

Se por um lado as férias têm seus benefícios, por outro a quebra de rotina do convívio diário com outras crianças precisa ser observada mais atentamente por pais e responsáveis. Isso porque o desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um investimento para toda a vida. “Apesar de as crianças estarem de férias, é de suma importância promover momentos de convivência com colegas de idade próxima. Isso beneficia a evolução cognitiva e permite momentos de socialização. Além disso, a companhia dos amigos ajuda na criatividade e no amadurecimento das crianças”, analisa.

Para a psicopedagoga, algumas atividades básicas do dia a dia devem ser preservadas, como os horários de tomar café da manhã, brincar, almoçar, tomar banho, jantar e dormir.

Brincar – Lucilene Almeida destaca ainda a importância do brincar para a formação do indivíduo. “Primeiro, precisamos entender que o processo do brincar não acontece porque estão de férias, elas brincam porque é a forma de explorar o mundo, suas habilidades e seus potenciais. Esse momento das férias escolares é também o período que serve para que as crianças possam estreitar ainda mais os laços familiares, viver verdadeiramente a infância, desenvolver memórias afetivas e expandir competências sociais que estimulem a criatividade, autoestima, imaginação e autonomia, habilidades essenciais para o desenvolvimento”, explica.

Cuidados – A psicopedagoga do Hapvida aponta que é fundamental, neste período de férias escolares, os pais e responsáveis monitorarem as crianças, lembrando de adaptar a rotina da família com o intuito de não expor os pequenos a riscos previsíveis, como, por exemplo: fogão, via pública, janelas sem proteção e piscinas descobertas. Além dos fatores já apontados, a especialista afirma que o uso de equipamentos de proteção individual para realização de esportes ainda é um fator negligenciado por pais e responsáveis, mas que podem fazer a diferença nas férias de toda família.

PB Agora


BORGES NETO LUCENA INFORMA