Luciana Temer, diretora do Instituto Liberta, chama atenção para casos de violência sexual e promove passeata virtual

 


A advogada, professora de direito e diretora do Instituto Liberta, Luciana Temer, recentemente expôs para todo o Brasil episódios em que foi vítima de violência sexual. Primeiro, aos 13 anos quando retornava da escola, e depois aos 27 anos durante um assalto. Luciana, que é filha do ex-presidente Michel Temer, assumiu a direção do Instituto Liberta após convite do filantropo Elie Horn. O principal objetivo do Instituto Liberta é o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o Brasil.

Este ano, o Instituto Liberta está programando uma passeata virtual para o dia 18 de maio, que é o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual Infantil. A campanha virtual tem como finalidade unir pessoas maiores de 18 anos que já passaram por esse tipo de violência para chamara atenção da sociedade e pedir medidas que protejam crianças e adolescentes.

Em entrevista ao ClickPB, Luciana Temer comentou que todas as pessoas participantes da passeata virtual têm um principal objetivo no evento, que é "mostrar o tamanho dessa violência no Brasil, que é gigante, chamara atenção para essa violência rompendo um padrão de violência e constrangimento que a gente não pode mais aceitar. Porque esse silêncio faz com que essa violência continue".

Ela revelou ainda que o Instituto Liberta pretende pressionar todos os candidatos das próximas eleições nos cargos de presidente e governador a debater sobre o assunto e apresentar propostas de combate à violência sexual. "Quando a gente tiver um monte de gente nessa passeata junto, o Liberta vai chegar para todos os candidatos e candidatas a presidente, governador, desse país e vai dizer: agora você sabe. Qual é o seu projeto para o enfrentamento à violência?".

A iniciativa #AGORAVCSABE aparece como tentativa de quebrar o silêncio dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes e furar a bolha, chamando atenção para situações que são reais e recorrentes.

Para participar da campanha e da passeata virtual, o Instituto Liberta convida que as pessoas acessem o site agoravocesabe.com.br, entendam o que é ser vítima de violência sexual e, se tiverem sido vítimas, gravem o vídeo com as frases padronizadas na plataforma: "Violência Sexual Contra crianças e adolescentes é uma realidade. Eu fui vítima. E agora você sabe."     

Os vídeos serão publicados todos juntos, na passeata em 18 de maio, e sem qualquer nome que identifique seus autores.

#AGORAVOCESABE - como funciona?

Ao entrar no site, você terá três opções: entender se já foi vítima, gravar o seu vídeo ou somente compartilhar o levante. Ao apertar gravar, você deverá aceitar os termos de uso da imagem e declarar ser maior de dezoito anos. Em seguida uma mensagem vai solicitar que posicione o seu rosto no círculo que aparece na tela e, em seguida, você deve ler a mensagem que aparece na tela do computador ou celular: “Violência sexual contra crianças e adolescentes é uma realidade. Eu fui vítima. E agora você sabe”. O vídeo gravado poderá ser assistido por você e regravado quantas vezes quiser, pois só será enviado quando clicar na tecla enviar. A plataforma manterá os vídeos salvos com segurança e no dia 18 de maio sua voz e imagem sairão na passeata juntamente com muitas outras. Você nunca estará sozinha (o) na tela.

CLICKPB
FALA PARAÍBA-BORGES NETO