Após repercussão negativa, presidente da Câmara de Paulista desiste de “farra” das férias de 105 dias para vereadores

 

Após aprovação de 105 dias de férias, na Câmara de Paulista, no Sertão do estado, a vereadora e presidente da Casa, Josefina Saldanha (PL), conhecida por Finoca, desistiu de ir em frente com a regalia diante repercussão do caso. 

Como apurou o ClickPB, em despacho nesta quinta-feira (19), a parlamentar informou que o anseio dos demais colegas não será efetivado, já que a Resolução 001/22, que alterou o Regimento Interno, não será promulgada após repercussão negativa.

Mesmo só realizando uma sessão por semana, de no máximo duas horas, e recebendo salários de R$ 4.100, os vereadores aprovaram tal projeto que teve grande repercussão, motivo pelo qual não vingou. A proposta aprovada na última terça-feira (17) prevê que a Câmara se reunirá de 1º de fevereiro a 31 de maio e de 1º de agosto a 15 de dezembro, às terças, às 9h.

No texto, Josefina afirma que o novo recesso é inconstitucional já que fere artigo da Constituição que estabelece o período de trabalho para o Congresso Nacional – de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro.

Votaram a favor do recesso os vereadores Laércio Redeiro (União Brasil), autor do projeto, Deda, Amaral, Cícero de Ademar, Anginho da Van. Já Betinho, Possidônio e Tico França votaram contra.

CLICKPB


FALA PARÁIBA-BORGES NETO