Deputado confirma pedido de CPI das Águas e início de busca de assinaturas para investigar irregularidades na privatização da água em Santa Rita


 O deputado estadual Walber Virgolino confirmou o pedido de instauração da CPI das Águas para investigar os problemas no abastecimento em Santa Rita com a privatização realizada pela Prefeitura. A informação foi confirmada, nesta terça-feira (24), em entrevista ao programa Arapuan Verdade, conforme apurou o ClickPB.

Segundo o deputado, "a Prefeitura rescindiu contrato com a Cagepa e contratou uma nova empresa. A nova empresa não está conseguindo promover esse fornecimento com eficácia a continuidade. Recebemos várias denúncias."

Ele conta que esteve em reunião com o seu corpo jurídico e vai buscar informações através de ofício e requerimentos com pedido de informação, para entrar com pedido de CPI. "A CPI é o instrumento adequado nas mãos do Parlamento para investigar. Não estou dizendo que tem dolo, que tem culpa, estou querendo dizer que a Assembleia tem obrigação investigar, saber o que realmente ocorreu, se a empresa tem condições, tem idoneidade, se tem capacidade técnica para fornecer água, se essa rescisão foi motivada por dissídio da Cagepa."

Ainda de acordo com Walber Virgolino, "a gente tem algumas perguntas que precisam de respostas e só iremos conseguir essas respostas através de CPI. Iremos levantar a documentação, para que não seja uma CPI vaga, e no mais tardar, na próxima semana, iremos contactar todos os deputados solicitando apoio para que a gente consiga de forma rápida instaurar essa CPI, antes mesmo do recesso parlamentar, e a gente consiga dar uma resposta à Paraíba e a Santa Rita."

Desde que a Prefeitura de Santa Rita rompeu com a Cagepa e a empresa privada Ane (Águas do Nordeste) assumiu o abastecimento de água e a rede de esgoto do município muitos moradores têm reclamado da falta d'água nas torneiras. São casos de famílias que buscam água na casa de parentes e amigos, se deslocando até João Pessoa para conseguir tomar banho, cozinhar e realizar outras tarefas diárias. Muitos reclamaram, nas redes sociais, que não têm conseguido contato com a Ane através do número de telefone fornecido.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO