Paraibana refugiada da Guerra da Ucrânia anuncia candidatura ao Senado e encara política como uma missão

 


A paraibana Silvana Pilipenko, de 54 anos ganhou notoriedade nacional após ficar dias desaparecida na Ucrânia e deixar o país durante a guerra contra a Rússia. Agora, a refugiada  foi lançada pré-candidata ao Senado pelo Partido da Mulher Brasileira. A sigla mudou de nome recentemente para ‘Brasil 35’.

"Deus não me permitiria presenciar os terrores da guerra para depois voltar ao Brasil e ficar tomando sol", relatou. 

Silvana Pilipenko desembarcou na Paraíba no dia 10 de abril. Antes, passou por momentos difíceis na Ucrânia. A artesã ficou por 26 dias sem contato com a família, que mora em João Pessoa.

A trajetória dela na Ucrânia começou em 1995, quando se casou com o ucraniano Vasyl Pilipenko, capitão da marinha mercante. Eles se conheceram em uma festa no Porto de Santos, em São Paulo, e, depois de dois meses, se casaram na Paraíba. Logo depois, ela foi para o país e desde então, vivia entre o Brasil e Ucrânia, sempre visitando a família.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO