“É urgente investigar mais esse escândalo”, diz senador sobre ação contra Queiroguinha


 Parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) no Congresso Nacional foram autores da denúncia contra o filho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, à Procuradoria Regional da República em João Pessoa, após a divulgação de que Antônio Cristóvão Neto (PL), conhecido como Queiroguinha, estaria atuado na intermediação entre prefeitos e o Ministério da Saúde para tratar de liberação de verbas junto ao Governo Federal. A informação é da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo.

A ação parte da bancada do PT no Senado e de um grupo de deputados filiados à legenda, que acusam o pré-candidato a deputado federal de se apresentar como representante do governo em agendas na Paraíba e participar de solenidades com ministros. A denúncia à é assinada pelos senadores petistas Paulo Rocha (PA), Humberto Costa (PE), Fabiano Contarato (ES), Jaques Wagner (BA), Jean Paul Prates (RN) e Rogério Carvalho (SE), pela senadora Zenaide Maia (Pros-RN) e pelos deputados do PT Alexandre Padilha (SP), Erika Kokay (DF), Henrique Fontana (PR) e Jorge Solla (BA).

“Esse governo é uma esculhambação, não há outra conclusão a se chegar. Hoje (ontem) mesmo a imprensa divulgou um vídeo em que esse rapaz diz o que o ministro e o que o Ministério fará ou deixará de fazer. É impressionante”, afirma Jean Paul Prates, que é líder da minoria no Senado. “Por isso, nossa bancada está representando junto ao Ministério Público da Paraíba. É urgente investigar mais esse escândalo do governo federal, que não cansa de nos envergonhar”, completa.

A representação ainda destaca que o estudante não possui cargo ou exerce função pública, menos ainda no Ministério da Saúde, nem integra entidades da sociedade civil ligadas à saúde para comparecer a eventos institucionais da forma como tem feito. Com isso, o pedido alega usurpação de função pública, tráfico de influência e possíveis crimes eleitorais.

Os parlamentares requerem ainda a instauração de um inquérito civil e também para que sejam ouvidos os ministérios da Saúde, da Defesa, da Infraestrutura e do Turismo, além de prefeitos paraibanos que se encontraram com o filho de Marcelo Queiroga.

A motivação partiu de vídeos divulgados na imprensa que mostram Queiroguinha concedendo entrevista em que salienta sua relação com o Governo Federal. “Nós, enquanto representantes do governo federal, precisamos ter um olhar voltado com muita sensibilidade para essa região, que tem um grande potencial na área social, na área educacional e nos recursos hídricos”, chegou a dizer em entrevista ao veículo Radio Cidade, em Sumé.

Queiroguinha, que é estudante de medicina, nega as acusações.

MaisPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO