Princesa Isabel: gestão de Ricardo Pereira é aprovada por 86,2% da população

 

A gestão do prefeito Ricardo Pereira (PSB), em Princesa Isabel, no Sertão do Estado e distante 418km de JOão Pessoa, alcançou a marca de 86,2% de aprovação. Os dados foram coletados na pesquisa realizada pelo Instituto Opinião e divulgada nesta terça-feira (05) pelo Portal MaisPB.

O levantamento feito com 400 eleitores da cidade, mostra que 8,5% dos entrevistados disseram reprovar o modelo que Ricardo administra o município, enquanto 5,3% não sabem ou não quiseram responder ao questionamento.

Fonte: Instituto Opinião

Fonte: Instituto Opinião

De acordo com o levantamento, a gestão municipal é ótima para 30,8% das pessoas ouvidas pelo Instituto Opinião, já para 47,6% a administração é considerada boa, 15,5% avaliam como regular, enquanto apenas 2,8% acreditam que a gestão é ruim e 2,5% péssima. Não sabem ou não responderam correspondem a 0,8%.

Fonte: Instituto Opinião

Fonte: Instituto Opinião

Nota de avaliação

O Instituto Opinião pediu à população uma nota (de 0 a 10) sobre o trabalho desenvolvido pela atual gestão de Princesa Isabel: 44,1% atribuíram nota 10, 22,8% deram 8 e 11,5% conferiram 9. A média geral ficou em 8,4.

Fonte: Instituto Opinião

Fonte: Instituto Opinião

Dados Técnicos 

A pesquisa foi realizada nos dias 01 e 02 de julho deste ano e ouviu 400 eleitores da zona urbana e zona rural. Foram eles: Aloysio Pereira, Baixa, Centro, Cruzeiro, Evaristo, Jardim Karlota, Lage, Maia, Rua das Pedras, Santa Irene e São Francisco, Alto da Boa Vista, Areais, Bom Será, Cachoeira de Minas, Caldeirão do Jorge, Carneiro dos Medeiros, Cedro, Entre Montes, Escorregada, Esperança, Foga-Foga, Gavião, Jatobá, Lago da Cruz, Lagoa da Fazenda, Lagoa de São João, Lavandeira, Macaco, Macambira dos Dionisios, Macambira Lagoa de São João, Minadouro, Moça Branca, Nova Olinda, Piau, Pica-Pau, Pilaozinhos, Quixaba, Riacho Grande, Saco, Serrão, Serrinha, Tamboril, Ticos, Trincheira, Várzea e Várzea da Cruz.

O intervalo de confiança estimado é de 90,0% e a margem de erro máxima estimada é de 4,1 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

MaisPB


BORGES NETO LUCENA INFOMRA