Bancos ainda não bateram martelo sobre oferta de consignado para beneficiários do Auxílio Brasil

 

Quem recebe o Auxílio Brasil, assim como outros benefícios de transferência de renda do governo, poderá fazer empréstimo consignado (com desconto direto na fonte). Até agora, no entanto, poucas instituições afirmaram que devem oferecer o serviço.

A nova lei que possibilita o empréstimo consignado foi criada a partir de uma medida provisória (MP) editada pelo governo e aprovada pelo Congresso Nacional. A medida é criticada por especialistas, que apontam para o risco de endividamento ainda maior da população mais vulnerável da população.

Entre os bancos mais prováveis a oferecer o empréstimo consignado está a Caixa Econômica Federal, que opera os programas sociais do governo, além do Banco do Brasil.

O presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Júnior, afirmou que o banco entendeu que é melhor não operar o consignado para os beneficiários do Auxílio Brasil. Itaú e Santander também não demonstraram interesse na modalidade.

"Não se trata de uma aposentadoria ou pensão, mas um benefício a pessoas que estão em dificuldades. Portanto, o Bradesco não vai operar nessa carteira. Estamos falando de pessoas vulneráveis. Em vez de ser uma boa operação para o banco e para o cliente, entendemos que a pessoa terá mais dificuldade quando o benefício cessar,e, por isso, preferimos não operar", disse Lazari, durante apresentação dos resultados do Bradesco no 2º trimestre.

Apesar de ainda não haver regulamentação de condições para a liberação dos empréstimos, já existem anúncios de crédito consignado para beneficiários do Auxílio Brasil. O Pan, Safra e o Facta Financeira estão entre os que já fizeram publicações em seus sites permitindo, inclusive, simular a contratação do crédito.

Correspondentes bancários que atuam em nome do Bmg e do Daycoval também já fizeram anúncios, mas não há informações oficiais ainda dessas instituições. Segundo o Valor apurou, mesmo bancos que permitem a simulação ainda não bateram o martelo de que devem mesmo oferecer o empréstimo e ainda aguardam como será a regulamentação da nova lei pelo governo.

Um dos únicos que confirma que deve oferecer o produto é o Agi (antigo Agibank). "O Agi já oferece crédito consignado para beneficiários do INSS e agora passa a oferecer também para beneficiários do Auxílio Brasil. A sanção dessa medida representa a possibilidade de acesso ao crédito a milhões de brasileiros que precisam do recurso para realizar algum projeto específico ou até mesmo para as demandas básicas do dia a dia. Entendemos ser um importante mecanismo de inclusão financeira para esse público", disse, em posicionamento enviado ao Valor.

Pela nova lei, quem recebe o Auxílio Brasil vai poder pedir um empréstimo até 40% do valor do benefício. O prazo é limitado a 24 meses e não há limite para a taxa de juros cobrada.

CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO