Filha é presa por golpe de R$ 725 milhões contra a mãe em esquema de roubo de obras de arte e joias

 


A Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade (Deapti) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (10), a Operação Sol Poente, contra suspeitos de roubar obras de arte — entre eles, quadros de Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral — joias e relógios Rolex, além de pagamentos em dinheiro feitos pela vítima aos integrantes da quadrilha. A filha da vítima está entre os presos por participação no crime. A obra de Tarsila do Amaral, que dá nome à operação, foi recuperada pela polícia nesta manhã.

O prejuízo estimado é de R$ 725 milhões, de acordo com a polícia. Segundo as investigações, as 21 joias e três relógios Rolex dados à quadrilha estão avaliados em R$ 6 milhões. Ao todo, são seis mandados de prisão e 16 de busca e apreensão, cumpridos em endereços na Zona Sul e nos bairros da Abolição e do Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. Além da filha, três outros suspeitos foram presos, mas dois estão foragidos.

A idosa de 82 anos, vítima dos crimes, é viúva de um marchand (negociador de obras de arte). Parte das obras de arte roubadas, segundo a polícia, deixou o país e foram parar em Buenos Aires, na Argentina. Os suspeitos cometeram os crimes de estelionato, roubo, extorsão, cárcere privado e associação criminosa. Com a investigação, já foi possível uma recuperação de 40% do total do prejuízo informado.

Tratamento espiritual

A idosa, de 82 anos, foi ludibriada pelo grupo, que ofereceu tratamento espiritual para uma de suas filhas em troca de dinheiro. Ao desconfiar que estivesse sendo vítima de um golpe, a vítima não quis mais realizar os pagamentos e passou então a ser mantida em cárcere privado, em seu apartamento, na Zona Sul do Rio, pela filha, entre fevereiro de 2020 e abril de 2021.

Durante o cárcere, a idosa chegou a ser agredida, privada de alimentação e teve uma faca colocada em seu pescoço para que fizesse a transferência de valores. Ela descobriu que todo o golpe havia sido articulado pela filha, que também passou a vender obras de arte para uma galeria em São Paulo.

Entre as obras levadas pela filha estavam 'O Sono', de Tarsila do Amaral; 'O menino', de Alberto Guignard; 'Mascaradas', de Di Cavalcanti; 'Maquete para o meu espelho'; de Antônio Dias; e 'Elevador Social'; de Rubens Gerchman. Duas obras foram vendidas para o Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, na Argentina, e ainda não foram recuperadas.

Entre os alvos da operação estão Diana Rosa Aparecida Stanesco Vuletic, Jacqueline Stanescos, Rosa Stanesco Nicolau, Ronaldo Ianov, Slavko Vuletic e Gabriel Nicolau Traslaviña Hafliger.

Confira a lista das obras:

  • O Sono, de Tarsila do Amaral, avaliado em R$ 300 milhões
  • Sol Poente, de Tarsila do Amaral, avaliado em R$ 250 milhões
  • Pont Neuf, de Tarsila do Amaral, avaliada em R$ 150 milhões
  • Ela, aquarela de Cícero Dias avaliada em R$ 1 milhão
  • Aquarela sem título, de Cicero Dias, avaliada em R$ 1 milhão
  • Desenho representando uma paisagem, de Alberto Guignard, avaliada em R$ 150 mil
  • Rue Des Rosiers, de Emeric Marcier, avaliada em R$ 150 mil
  • Eglise Saint Paul, de Emeric Marcier, avaliada em R$ 150 mil
  • Porto de pesca em Hong Kong, de Kao Chien-Fu, avaliada em R$ 1milhão
  • Coruja ao luar, de Kao Chi-Feng, avaliada em R$ 1 milhão
  • Retrato, de Michel Macreau, avaliada em R$ 150 mil
  • Mulher na Igreja, de Ilya Glazunov, avaliada em R$ 500 mil
  • Mascaradas, de Di Cavalcanti, avaliada em R$ 1,5 milhão
  • O Menino, de Alberto Guignard, avaliada em R$ 2 milhões
  • Maquete para meu espelho, de Antônio Dias, avaliada em R$ 1,5 milhão
  • Elevador Social, de Rubens Gerchman, avaliada em R$ 1,5 milhão
CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO