Até setembro deste ano, choveu em João Pessoa 30% a mais do que 2021 inteiro

 

Choveu 767,6 milímetros (mm) em João Pessoa durante o Inverno – 21 de junho a 22 de setembro – de acordo com os dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Mas, apesar das fortes precipitações, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec-JP) não registrou mortes nem pessoas feridas gravemente devido às chuvas, ao contrário do que ocorreu em outras cidades nordestinas.

A Capital registrou índices de chuvas atípicos em alguns meses, com precipitação bem acima da média histórica, a exemplo de maio, quando foram registrados 654,2mm, 127 % a mais que a média, que é de 287,7 mm. Com 444 mm, o mês de julho, já no Inverno, foi o segundo mais chuvoso do ano – a média dos últimos 20 anos é de 127mm –, seguido de março, com 401, 4 mm.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Kelson Chaves, em 2022 choveu bem mais que o ano passado, mas a cidade suportou bem as fortes precipitações graças ao trabalho preventivo realizado pela Compdec nas áreas de risco – comunidades ribeirinhas, barreiras e encostas –, como a limpeza e desassoreamento dos rios, que tem impedido que as águas subam e, desta forma, trazendo tranquilidades às pessoas.

“Para termos uma ideia, durante todo o ano de 2021 choveu 1.767,0 mm aqui na Capital. O acumulado deste ano, até o dia 21 de setembro, é 2.544,1mm, que corresponde a 30,5% a mais do que no ano passado. Ainda assim nós tivemos problemas pontuais, muito pequenos se comparados a outras cidades que enfrentaram grandes transtornos. Isso é reflexo desse trabalho que fazemos ao longo do ano”, destacou Kelson Chaves.

Tranquilidade

Jonathan Dario, que mora no Bairro São José há 33 anos, afirma que que este é o primeiro Inverno que a comunidade passa sem preocupações com o nível das águas do Rio Jaguaribe. “É a primeira vez que passamos um Inverno sem enchente aqui no Bairro São José. As famílias sofriam, pois perdiam fogão, geladeira e outros pertences. Tudo que tinha dentro de casa a enchente levava”, contou o morador.

Jonathan ressaltou também o trabalho de limpeza feito nos rios e a presença da Compdec-JP nas comunidades. “A dificuldade que a gente tinha para chegar à gestão para dizer que o rio tinha subido, que havia alagamento e famílias precisando de assistência era imensa. Este ano, a Defesa Civil, além do serviço feito antes das chuvas, assim que começou o Inverno entrou em contato para saber como estava a situação no local”, relatou.

Ocorrências

Desde o mês maio, quando começaram as chuvas em João Pessoa, a Defesa Civil atendeu 384 chamadas. No Engenho Velho, na Comunidade Três Pontes, onde o Rio Gramame transbordou, 14 famílias – 47 pessoas no total – realocadas e alojadas temporariamente. Houve ainda o desabamento de parte da estrutura de uma casa na Rua Monsenhor Almeida, em Jaguaribe.

Na Comunidade Santa Clara, no Castelo Branco, houve deslizamento de terra na barreira às margens da BR-230. Com isso, 16 famílias precisaram ser realocadas em definitivo com forma de prevenção de um possível desastre. Todas assistidas pelo Programa João Pessoa Sustentável, no Aluguel Emergencial, no valor de R$ 500,00. As casas que estavam sob risco de desabamento foram demolidas.

Índice de chuvas na Capital

Janeiro: 198,2 mm
Fevereiro: 27,7 mm
Março: 401,4 mm
Abril: 281,4 mm (não oficial)
Maio: 654,2 mm
Junho: 380,0 mm
Julho: 444,2 mm
Agosto: 110,6 mm
Setembro: 46,4 mm
Total:2.544,1mm

Precipitações registradas durante o ano:

2021 – 1.767,0 mm
2022 – 2.544,1 mm

Fonte: Mapa/Inmet

Como acionar a Defesa Civil

Em caso de ocorrência, a população deve acionar a Defesa Civil pelos números 0800-285-9020 ou 98831-6885 (WhatsApp). O serviço funciona 24 horas. A Compdec/JP está presente em todas as ações de proteção e assistência às comunidades, especialmente nos períodos de maior intensidade de chuvas.

PB AGORA


FALA PARAÍBA-BORGES NETO