Menina baleada na cabeça na capital tem melhora e deixa UTI do Trauma

 

O bebê de 1 ano e 8 meses que levou um tiro na cabeça, na noite da última terça-feira (27), segue internada, mas deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O projétil foi retirado e ela segue sendo acompanhada pela equipe médica sem sinais de sequelas, de acordo com Laécio Bragante, diretor do hospital de emergência e trauma de João Pessoa.

“O projetil de arma de fogo, além do ferimento em si, se provoca outras lesões secundárias relacionadas às ondas de choque e também pelo calor do projetil, mas, mesmo assim, todo o tratamento cirúrgico foi feito imediatamente. A criança está apresentando uma evolução surpreende, está se sentando na cama, aceitando a dieta por via oral e já interagindo de forma positiva, sem nenhum sinal de sequela”, afirma o diretor da unidade hospitalar.

A menina levou um tiro quando bandidos invadiram a casa onde ela estava com a família, no bairro Alto do Mateus. A intenção dos criminosos, segundo a polícia, era matar o pai, Ramon Vagner, de 19 anos, que também foi atingido e morreu momentos após o atentado, enquanto recebia atendimento médico.

Ramon tinha passagem pela polícia quando era menor de idade. Ele foi pego com uma arma de fogo. Contra ele, nos últimos meses, houve uma outra tentativa de homicídio, mas ele escapou pulando muros. Desde então, ele resolveu se dedicar à religião. Além da menina vítima do tiro, Ramon tinha outros três filhos.

O suspeito de praticar o crime contra Ramon e a filha foi localizado e preso pela polícia na noite desta quarta (28). Ele foi encaminhado para a Central de Polícia de João Pessoa e prestou depoimento. Ele passou por audiência de custódia ainda na manhã desta quinta-feira (29), onde teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. O suspeito foi encaminhado à Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice.

PB AGORA


FALA PARAÍBA-BORGES NETO