Ministério Público investiga superintendente do Incra por suspeita de barrar participação do MST em reuniões na Paraíba

 


O Ministério Público Federal (MPF) iniciou investigação com objetivo de apurar possível caso de improbidade administrativa cometida por parte do Superintendente do Incra na Paraíba. A informação foi publicado no Diário Oficial do MPF de hoje (30). Segundo apurou o ClickPB, o movimentos sociais foram barrados em reuniões e atendimentos realizados pela autarquia, ferindo o princípio da impessoalidade. 

Entre os movimentos, está o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

De acordo com a publicação, o inquérito civil público é assinado pelo Procurador da República na Paraíba, Sérgio Rodrigo Pimentel de Castro Pinto e tem prazo de conclusão de 12 meses, conforme estabelecido em resolução do Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM). O atual Superintendente do Incra no estado é Kleyber Oliveira da Nobrega e ele está no cargo desde 2019. 

 O ClickPB entrou em contato com o Incra e em nota enviada às 13h03 de hoje (30), o Instituto informou que "não foi notificada oficialmente sobre instauração de inquérito civil pela Procuradoria da República no Estado da Paraíba para apurar eventual improbidade administrativa contra o superintendente regional autaquia, o senhor Kleyber Oliveira da Nobrega". Em outro trecho, o Incra destacou que "nunca barrou a participação de representantes de movimentos sociais em reuniões nem se negou a receber estes ou quaisquer outros cidadãos que procuraram atendimento na Superintendência". Confira a nota na íntegra:

Confira mais detalhes sobre o inquérito:

CLICKPB


FALA PARÁIBA-BORGES NETO