Óleo em praias da PB seria do Golfo do México e sem ligações com evento de 2019

 

O governo brasileiro informou, por meio de nota, que os resíduos de óleo encontrados em praias do Nordeste em agosto deste ano não têm relação com o derramamento de 2019. De acordo com as investigações, foram analisadas amostras de praias de Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Bahia.

Além disso, três laboratórios verificaram o que foi coletado, incluindo as universidades federais de Pernambuco e da Bahia e o Laboratório de Geoquímica Ambiental Forense do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, da Marinha.

“Há indicação de que houve um novo evento, cuja hipótese mais provável aponta para um incidente envolvendo petróleo cru, proveniente do descarte de água oleosa lançada ao mar, após a lavagem de tanques de navio petroleiro em alto mar”, diz o comunicado.

Através da verificação do óleo encontrado em Boa Viagem, Paiva e Quartel, em Pernambuco, e Ondina, na Bahia, acredita-se que seja petróleo produzido no Golfo do México.

Evento de 2019

Apesar de algumas amostras coletadas nas praias de Itacimirim e Itapuã, na Bahia, tiveram “resultados correlacionávies com o óleo de 2019”, o governo apontou que o fato não significa que houve novo vazamento daquele incidente, mas que ainda existem resíduos do material nas areias ou fixados em rochas e recifes próximos ao litoral.

Tal fato, no entanto, não indica tratar-se de um novo derramamento, do mesmo óleo, daquele incidente”, segue a nota.

O governo afirma ainda que o conjunto de informações de diferentes órgãos e laboratórios auxiliará “em futuro muito próximo” para incrementar a “estrutura existente para a identificação de possíveis navios infratores e autores de crimes ambientais que venham a ser cometidos”.

MaisPB com informações da CNN


FALA PARAÍBA-BORGES NETO