Políticos paraibanos condenam tentativa de homicídio contra Kirchner: “Inadmissível”

 

TENTATIVA DE HOMICÍDIO NA ARGENTINA

Políticos paraibanos condenam tentativa de homicídio contra Kirchner: “Inadmissível”

COMENTÁRIOS:
02/09/2022 às 11h38 atualizado em 02/09/2022 às 08h58

O governador João Azevêdo, candidato à reeleição pelo PSB, condenou o atentando contra a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, ocorrido na noite dessa quinta-feira (1º) quando a ex-presidente chegava em casa.

Segundo o ministro da Segurança, Aníbal Fernández, o acusado da tentativa de homicídio é Fernando Andrés Sabag Montiel, um brasileiro de 35 anos. A arma de calibre .38 estava carregada com cinco balas, mas falhou na hora do disparo feitos contra a cabeça e a vice-presidente não foi ferida.

“O que aconteceu na Argentina, com @CFKArgentina é inadmissível. Violência e democracia não andam na mesma estrada. Fica aqui minha solidariedade a ela, reiterando meu compromisso de seguir lutando por eleições pacíficas, não aceitar intolerância, violência ou ato de radicalismo”, escreveu João nas redes sociais.

A deputada Pollyanna Dutra, candidata ao Senado Federal pelo PSB, repudiou o ato violento. “Inadmissível o atentado à Cristina Kirchner, ocorrido ontem. Me solidarizo com a vice-presidente argentina, ao mesmo tempo em que reafirmo que as divergências políticas, ideológicas ou de qualquer natureza não podem ser molas propulsoras de condutas de ódio”, afirmou.

A senadora Daniella Ribeiro (PSD-PB) também lamentou o ocorrido. Ela disse que “o respeito às divergências políticas, ideológicas ou de qualquer natureza é fundamental. Acima de tudo, o respeito às pessoas é fundamental”.

A parlamentar paraibana ainda afirmou que “a mão de Deus a livrou de uma tragédia” e que “a violência política contra a mulher é viral e estrutural. Precisamos combater com veemência e persistência”.

MaisPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA