Polícia prende suspeito de estrangular aposentado para roubar objetos do idoso

 

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de Campina Grande, prendeu, nesta quinta-feira (6), mais um suspeito de latrocínio na cidade. A prisão ocorreu no bairro do Cruzeiro.

Denominada Operação Bastet, a investigação apurou a morte do aposentado Manoel Batista da Silva Filho, 71 anos, cujo corpo foi encontrado no dia 24 de abril deste ano, em sua casa, naquele bairro. Ele estava deitado na cama, com sinais de estrangulamento.

No decorrer dos levantamentos, os policiais descobriram se tratar de um latrocínio – o criminoso matou a vítima para roubar seus pertences – e, dias depois, identificaram o autor do delito. Com base nos autos do Inquérito Policial, a justiça expediu o mandado de prisão, que foi cumprido hoje.

A investigação constatou que o suspeito é usuário de drogas e chegou passar por tratamento em clínica especializada. Em uma carta encontrada pelos investigadores, o suspeito teria escrito que “não suportava lidar com o sentimento de perda e o falecimento de um gato”.

Os investigadores conversaram com familiares do suspeito e eles disseram que nem o investigado nem os parentes próximos tinham animais de estimação. “O felino, na verdade, era da vítima Manoel Batista, conforme ficou patente nos levantamentos”, disse o delegado Demétrius Patrício, detalhe que deu nome à operação – Bastet –, em referência à Deusa egípcia que tem corpo humano e cabeça de gata.

A prisão do investigado foi comunicada à justiça, que deverá adotar as providências cabíveis.

Alto índice

Nos últimos dez meses, a cidade de Campina Grande registrou seis casos de latrocínio. Desses, cinco já foram elucidados pela Polícia Civil, o que representa um índice de 83% de elucidação.

MaisPB

BORGES NETO LUCENA INFOMRA