Lucas Veloso sugere que levou 'calote' da Braiscompany e faz acusações sobre possível prática de pirâmide

 


O humorista e ator global Lucas Veloso, de Campina Grande, movimentou o instagram ao responder um questionamento de um seguidor sobre uma empresa de investimentos que ele realizava propaganda. Conforme apurou o ClickPB, ao longo dos conteúdos Lucas faz graves acusações sobre o empreendimento, entre eles um 'calote' e a possível prática de pirâmide financeira por parte da empresa.

Segundo o ator, filho do humorista Shaolin, ele teve o primeiro contato com empresa durante a pandemia. "(durante a pandemia) Chegou uma oportunidade que uma empresa que mexia com investimentos chamou para fazer uma parceria", detalhou. Ele disse que no momento a ideia fazia sentido 'absurdo' porém analisa que a sua equipe 'pensou pouco' naquele momento. 

Depois, de acordo com as declarações do ator, ao tentar patrocínio com a empresa financeira para um filme seu, Veloso alega ter sofrido a falta de cumprimento com o acordo fechado e não ter recebido o pagamento. "Fui chamar para patrocinar em um filme meu, fechamos um negócio que ele iria entrar de patrocinador e sócio", porém de acordo com Lucas, ao chegar no momento de pagar as contas não houve retorno. "Data de pagamento. Cadê? Nem o dinheiro do patrocínio, nem o dinheiro da folha". Detalhou 

Após tentativas para compreender o que estaria acontecendo, ele percebeu que o problema estaria sendo repassado de pessoa e pessoa do alto escalão da empresa. Com isso passou a gravar as ligações. Em uma delas, com o advogado da empresa ele afirma que o mesmo declarou que "está ruim pois o mercado não está em um bom momento e está cancelado o patrocínio". A fala, de acordo com o ator, vem em uma posição contrária a razão inicial citada pela marca para 'suspender' o patrocínio ('inconsistências jurídicas). 

Na sequência de vídeos, depois de pedir desculpas ao seguidores que acompanhar o serviço dele e compraram ações na empresa de investimentos, Veloso revela que mantém contato com pessoas que trabalham dentro da mesma e sugere que a mesma seria um esquema de 'pirâmide financeira'. 

"Eu soube,  tenho provas, que existe um tal de cliente compartilhado. Que é você leva um cliente e leva comissão em cima do outro cliente que está investindo. O nome disso é o que mesmo?" conclui. 

Segundo apurou a reportagem, a empresa de investimentos que Lucas fez propaganda recentemente foi a Braiscompany. De acordo com a imprensa nacional, parte dos clientes da Braiscompany teria chegado ao ano novo com o bolso vazio devido ao atraso — pelo segundo mês seguido — do pagamento dos rendimentos que a empresa diz obter com a “locação de criptoativos”. O último pagamento de 2022, programado para acontecer no dia 30 de dezembro, ainda não foi feito até esta quinta-feira (5) para parte dos clientes do grupo, chegando a uma semana de atraso.

CLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA