Texas executa supremacista branco por acorrentar e arrastar negro até a morte


Um supremacista branco condenado por matar um negro, que foi acorrentado em um carro e arrastado, foi executado nesta quarta-feira (2) no estado norte-americano do Texas.
John William King, 44, foi um dos três condenados pelo assassinato em junho de 1998 de James Byrd e recebeu a injeção letal na penitenciária de Huntsville, às 19h08 local (21h08 em Brasília).
Lawrence Brewer, outro participante do crime, foi executado em 2011. O terceiro, Shawn Berry, cumpre pena de prisão perpétua, porque colaborou com os investigadores.
Berry afirmou, no julgamento, que os três beberam, deram carona a Byrd e o levaram para uma área afastada, onde o agrediram brutalmente e o acorrentaram à parte traseira de uma caminhonete.
Byrd ainda estava vivo quando foi arrastado por quase três quilômetros. Os legistas afirmaram que ele sofreu terrivelmente e foi decapitado quando sua cabeça bateu em um tubo de concreto.
O corpo desmembrado foi encontrado diante de uma igreja frequentada pela comunidade negra da pequena cidade de Jasper, no Texas.

Lei James Byrd

Quase 10 anos após a condenação no caso Byrd, o então presidente Barack Obama assinou uma lei que tornou mais rígidas as penas para os crimes de ódio e que tem os nomes de James Byrd e de Matthew Shepard, um jovem homossexual assassinado no mesmo ano.

France Presse 

BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários