CPI DA PANDEMIA: Ex-diretor acusado de pedir propina paga fiança e deixa Polícia Legislativa

 

O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, pagou fiança de R$ 1.100 e foi liberado no fim da noite dessa quarta-feira (7) pela Polícia Legislativa, após cinco horas detido. Ele foi preso ao prestar depoimento na CPI da Pandemia, no Senado.

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), deu voz de prisão a Roberto. Ele foi acusado de mentir aos senadores em relação à acusação de pedir propina no episódio da oferta de 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca pela empresa americana Davati.

“Não aceito que a CPI vire chacota. Nós temos 527 mil mortos e os caras brincando de negociar vacina! Ele está preso por perjúrio, e que a advogada me processe, mas ele vai estar detido agora pelo Brasil — indignou-se Aziz, que perdeu um irmão pela covid-19. Ele lembrou também que os outros depoentes estavam munidos de habeas corpus concedidos pelo STF”, disse o presidente.

Com Agência Senado


BORGES NETO LUCENA INFORMA