Mais de 250 pessoas na Paraíba foram vacinadas contra a Covid-19 com doses vencidas da AstraZeneca; saiba em quais municípios

 


Pelo menos 253 doses de vacinas contra Covid-19 vencidas foram aplicadas na Paraíba, de acordo com dados oficiais do Ministério da Saúde. O erro vacinal ocorreu aproximadamente em 50 municípios paraibanos. Em todo País foram pouco mais de 26 mil pessoas vacinadas com doses fora do prazo de validade, conforme reportagem trazida, nesta sexta-feira (02), pela Folha de S.Paulo. 

De acordo com a Folha de S.Paulo, até o dia 19 de junho, as vacinas com o prazo de vencido tinham sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros. Lidera nessa estatística, o município de Maringá (Paraná). No local foram vacinadas 3.536 pessoas com a AstraZeneca fora da validade.

A Paraíba aparece entre os estados que vacinou com doses vencidas entre 251 e 800 doses. O município de Alagoa Grande lidera na Paraíba com 72 doses aplicadas nos dias 29 de março e 14 de abril no Hospital Municipal Ministro Osvaldo Trigueiro, seguidas por Patos (16), na Secretaria Municipal de Saúde e Esperança (15), sendo 14 na UBSF Campestre Maria Salomé Alves Torres no dia 29 de março e 1 na UBSF Portal Franisco Claudio de Lima. Outros municípios aparecem com menos de 10 doses aplicadas.

Ainda de acordo com a reportagem, pelo menos 114 mil doses da Astrazeneca que haviam sido distribuídas aos estados ainda com o prazo de validade já venceram. Esse imunizante é está sendo o mais utilizado no País, o que representa 57% das doses aplicadas. 

Confira os locais onde as vacinas foram aplicadas:




Em resposta a Folha de S.Folha, o Ministério da Saúde informou "que acompanha rigorosamente todos os prazos de validade das vacinas Covid-19 recebidas e distribuídas" e que "as doses entregues para as centrais estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério."

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO