Nós temos feito nossa parte, diz ministro sobre gasolina

 

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, tentou jogar para estados e municípios a responsabilidade sobre o aumento constante no preço da gasolina. O auxiliar do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve nesta terça-feira (28) em João Pessoa onde liderou um evento em alusão aos Mil Dias da atual gestão federal.

“O governo já está fazendo a sua parte no que se diz a respeito de tributos federais. Acho que toda sociedade tem que fazer a sua parte. E quando me refiro à sociedade, me ferido a estados e municípios. O preço no mundo está alto, está alto porque a produção do petróleo caiu e o preço subiu. Em outros países subiu 500%, aqui estamos tentando controlar”, disse.

Albuquerque também comentou a crise no fornecimento de energia elétrica. Ele disse acreditar que a situação mais crítica possa ser contornada a partir de outubro.

“Estamos trabalhando desde outubro do ano passado, porque em setembro de 2020 foi o pior período de chuva que o Brasil já passou, ali já nos chamou atenção de que os nossos reservatórios poderiam perder a capacidade de armazenamento. Já começamos a adotar medidas e estamos passando por esse período, esperando chegar em outubro com melhores condições”, disse.

Apesar do momento difícil sobre o fornecimento de energia elétrica, Bento Albuquerque descartou o retorno do horário de verão e apagão.

“O horário de verão foi usado no passado. Os hábitos e consumo no Brasil e no mundo mudaram. Então, hão há necessidade de horário de verão”, frisou.

Mil Dias do Governo Bolsonaro 

Durante solenidade em João Pessoa em alusão aos mil dias de governo Bolsonaro, nesta terça-feira (28), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, considerou positivo o resultado alcançado pela gestão no período.

Mesmo com a crise energética no país, ele se disse satisfeito com a evolução do setor de energia, elétrico, petróleo, biocombustíveis e mineração.

“Quando olhamos a quantidade de realizações e projetos que foram realizados nestes mil dias, em todos os setores da economia, da atividade social, bilhões de investimentos, empregos gerados. É isso que dá pra gente bastante vontade de continuar o trabalho até o final do governo do presidente Bolsonaro. É motivo de muito orgulho, uma recompensa quando olhamos para tudo realizado”, disse o ministro.

Veja a entrevista

Na solenidade de hoje será feita a assinatura do contrato para a cessão do Projeto Fosfato de Miriri para a empresa BF Mineração, que deverá dar continuidade às pesquisas geológicas visando a produção de fertilizantes de fosfato para beneficiar o mercado agrícola do Nordeste.

O contrato será oficializado após o leilão realizado pelo Governo por meio do Programa de Parcerias de Investimento (PPI).

O Projeto Fosfato de Miriri é resultado da pesquisa mineral realizada pelo Serviço Geológico do Brasil entre as décadas de 1970 e 1980. O Projeto está representado por sete processos minerários e está localizado em uma área total de 6.112,18 hectares, ao sul da cidade de João Pessoa (PB), abrangendo os municípios de Alhandra e Pedra do Fogo, na Paraíba, e Goiana, em Pernambuco.

MaisPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA