Falta de matéria prima reduz produção e estoques de lojas estão limitados para Black Friday, diz presidente da CDL em João Pessoa

 


Mesmo com o reaquecido no ritmo de atividade do comércio e da flexibilização das medidas de isolamento social, resultante do avanço da vacinação contra a covid-19, a edição 2021 da Black Friday não promete recuperação do mercado. A avaliação é do presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Nivaldo Vilar. Em entrevista o ClickPB, nesta quarta-feira (10), ele explicou os motivos para um cenário sem grandes expectativas por parte dos comerciantes. 

Entre os principais motivos, a falta de matéria prima é um dos que mais preocupa. "Muitas lojas vão fazer suas promoções com limitações por causa da falta de matéria prima que impacta a produção nas fábricas. Os comerciantes estão sentindo a falta de produtos por causa da queda na fabricação dos produtos. A produção não está sendo produzida na demanda que está tendo", destacou.

Ainda segundo ele, além disso, os preços dos produtos aumentaram muito com a pandemia. "Não tem como ter muita promoção diante de tantos aumentos. Depois que passar a Black Friday é que podemos ter uma base de como foi o faturamento", destacou.

Para Nivaldo, os clientes serão prejudicados e os donos de lojas já sentem o impacto da falta de produtos que influencia diretamente no faturamento das empresas. Ele ressaltou, que apesar do pouco estoque na maioria das lojas, a data poderá movimentar bem o comércio, mas bem longe do que se esperava por causa desses aspectos. 

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO