Presidente do TRE não pensa, por enquanto, em tropas federais na Paraíba este ano

 

Apesar do acirramento de ânimos no que diz respeito a corrida pela presidência da República, sobretudo de apoiadores do PT de Lula e do PL de Bolsonaro, na Paraíba, pelo menos por enquanto, não há necessidade de fazer uma convocação das forças federais para atuar no pleito. Pelo menos é essa a visão do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o desembargador Leandro Ramalho.

Em entrevista nesta quarta-feira (20) ele ressaltou que as forças federais sempre foram parcerias da Justiça Eleitoral, mas que, por hora, não vê necessidade de atuação em solo paraibano. O presidente, todavia, lembrou que os juízes eleitorais têm liberdade para fazer a solicitação ao TRE a qualquer momento. A Corte analisa e encaminha o pedido para avaliação do TSE, que é que decide se atende ou não o pleito.

“As forças armadas sempre foram parceiras da Justiça Eleitoral, isso é fato, eu pelo menos enquanto juiz trabalhei com o exército em várias cidades da Paraíba, e sempre foi uma parceria exitosa para, em situações excepcionais, a gente poder ter essa tranquilidade. Nesse ano, até hoje, nós não estamos enxergando a necessidade de tropas federais na Paraíba, mas o juiz eleitoral pode solicitar a atuação das forças federais ao TER, aí a gente analisa e encaminha para o TSE, porque a posição final é do TSE, mas repito, neste momento não enxergo nenhuma situação na PB que viabilize a convocação de tropas federais”.

 

PB Agora


BORGES NETO LUCENA INFOMRA