Após divisão de alas dentro do PROS para a majoritária, TRE decide que partido fará coligação com Pedro Cunha Lima


 O Partido Republicano da Ordem Social (Pros), não vai mais compor aliança política com o candidato à reeleição ao Governo do Estado, João Azevêdo (PSB). A legenda a partir de hoje (19) passa a integrar a coligação ‘Coragem para Mudar’ de Pedro Cunha Lima (PSDB).

O PROS que vivia um impasse após conflitos internos, aparecia registrado, de forma peculiar, registrado nas candidaturas de João e de Pedro junto ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Enquanto o grupo de Gilvan Raposo, ex-presidente do PROS na Paraíba, apoia João Azevêdo, o grupo de Adauto Tavares, nome esse que comanda a Comissão Provisória do PROS, apoia Pedro Cunha Lima. Adauto assumiu o cargo no lugar de Raposo, após impetrar uma ação na Justiça. Tavares é aliado de André Amaral, filiado ao PROS e candidato a suplente de Efraim Filho na vaga ao Senado.

PROS aparece nas coligações de João Azevêdo e Pedro Cunha Lima e Justiça Eleitoral deve resolver impasse sobre apoios do partido

O conflito foi resolvido após decisão da desembargadora do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, Fátima Maranhão.  De acordo com a magistrada, o embate poderia interferir no destino do pleito deste ano, porque a quantidade de aliados de uma coligação ajuda a definir quanto tempo cada candidato terá para os horários da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV.

Agora a federação de Pedro Cunha Lima é composta por (PSDB/Cidadania, PDT, União, PMB, PSC, PTB e Pros), conquistando o maior tempo de guia eleitoral. Já a coligação de João Azevêdo (PSB), a ‘Juntos Pela Paraíba’ é formada por (PSB, AGIR, PP, Avante, PMN, PSD, Solidariedade, Podemos, Republicanos e Patriota)

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO